Costumes judaicos: 4 curiosidades sobre a cultura judaica

Você já parou para refletir sobre os costumes judaicos e sua cultura? A mais antiga religião monoteísta do mundo, diretamente relacionada com o Holocausto, entre outras definições, fazem do Judaísmo uma religião e também uma cultura repleta de peculiaridades e curiosidades.

Hoje, eu convido você a conhecer os costumes judaicos e surpreender-se com a diversidade de elementos representativos dessa cultura. Afinal, não basta ser Louco Por Viagens, é bom também ser Louco Por Saber!

Que tal conhecer os costumes judaicos de perto? Então aproveite as melhores passagens para Israel!

Uma breve história sobre a evolução da cultura judaica

uma-breve-historia-sobre-a-evolucao-judaica

O Judaísmo não é somente uma religião, é considerado também uma ortopraxia.

Ou seja, é também composta por um conjunto de regras e tradições que são passadas de geração para geração, as quais afetam diretamente na conduta dos indivíduos. 

Ao longo do tempo, houve muitas mudanças de costumes e da cultura dos judeus quando comparado ao início de sua história.

Em virtude da imagem negativa associada aos judeus pela morte de Jesus Cristo, os praticantes foram se dissipando e se incorporando em outras sociedades. 

Com isso, surgiram duas vertentes principais:

  • a dos judeus modernos, que procuram se inserir nas sociedades modernas, sem perda de suas crenças e práticas, na tentativa de interagir com outras culturas;
  • e a dos judeus ultraortodoxos, que são mais extremistas, preservando suas práticas e se fechando em sua cultura.

Ao falar em judeus e seus costumes em locais como Israel, é comum que a mídia os represente na figura de homens vestidos de preto, com barba farta e aparência de mais velhos, com chapéu preto bem peculiar, não é mesmo?

No entanto, ao circular pelas ruas, você irá encontrar tanto esta figura, que representa os ultraortodoxos, como os judeus modernos, que se vestem como qualquer outro cidadão comum, por vezes até de maneira imperceptível.

Convido você a conhecer um pouco mais sobre a história dessa religião em uma conversa maravilhosa que tive com Damian Moshe, na série Louco Por Saber.

É interessante compreender o significado de elementos tão representativos do judaísmo e compreender os eventos históricos mais relevantes:

Vamos saber mais sobre as tradições e os costumes judaicos? Então venha comigo nesta jornada interessante sobre a religião monoteísta mais antiga da história.

4 tradições e costumes judaicos

Como toda religião, o Judaísmo tem crenças e hábitos que são característicos. Alguns deles acontecem na aparência física, outros nos rituais, por exemplo.

Vejamos quais são as tradições e costumes judaicos mais relevantes.

1. Aparência física

aparencia-fisica

Entre os costumes judaicos mais perceptíveis está o cabelo, tanto para homens quanto para mulheres.

Estes costumes são típicos dos judeus ultraortodoxos, que seguem a Torá, livro sagrado do Judaísmo, de maneira categórica.

As mulheres têm o hábito que raspar o cabelo antes do casamento, fazendo uso de perucas posteriormente ou colocando lenço para cobrir os cabelos. Mas qual a razão deste ato?

O objetivo é demostrar recato, é um símbolo para as demais pessoas de que aquela mulher é casada.

Já os homens são conhecidos por aqueles cachos nas têmporas. Eles são chamados de peiot (plural da palavra hebraica peá, que significa ‘borda’) e servem para simbolizar que o judeu cumpre o mandamento Levítico 19:27.

Logo, a passagem ordena: “Não cortareis o cabelo, arredondando os cantos da vossa cabeça, nem danificareis as extremidades da tua barba.”.

Além disso, o mais importante dos costumes judaicos referente à aparência física é perceber que cobrem a cabeça, seja com lenços, perucas, chapéus ou quipás.

O que isso significa? Este hábito representa reverência e temor a Deus. Saiba que é um sinal de humildade do homem frente à superioridade divina.

2. Alimentação

alimentacao

A Torá também é bem específica quanto à alimentação dos judeus. Em Levítico 11, Deus fala a Moisés e Arão como deve ser a alimentação de seus filhos, o chamado kosher.

Entre todas as especificações, os costumes judaicos não consideram a ingestão de carne suína e qualquer outra criatura que não tiver escamas ou barbatanas.

Peixes como atum, salmão e linguado, por exemplo, são alimentos considerados kosher, isto é, apropriados.

3. Recebendo visitas

Considerando as peculiaridades desta cultura, o termo que melhor define a essência dos costumes judaicos ao receber visitas é hospitalidade. 

Saiba que a cultura judaica preza pelo atendimento cordial e prestatividade a quem quer que bata à sua porta.

Por outro lado, lavar os pés de um convidado também mostra parte da herança histórica do povo judeu, um sinal de respeito e receptividade.

4. Religião e festividades

Como toda religião, o Judaísmo tem festividades e celebrações. O matrimônio é uma delas e também possui alguns rituais e regras a serem seguidos.

Vejamos os costumes judaicos no que diz respeito ao casamento.

casamento-judaico

O que prega a religião dos judeus?

O Judaísmo possui várias ramificações, mas existem duas em especial que caracterizam melhor os elementos religiosos: os judeus ortodoxos e os conservadores. 

Para os ortodoxos, a Torá foi escrita por Deus e dada a Moisés, e suas leis são imutáveis.

Por outro lado, o Talmud é considerado uma codificação definitiva das leis judaicas.

Já o Judaísmo conversador não considera a religião como estática, aceitando que ela pode sofrer adaptações para convívio em uma comunidade ou contexto.

O que caracteriza uma vertente como conservadora diz respeito ao compromisso de seguir as leis e práticas do judaísmo tradicional.

Rituais e festividades

Para os judeus, existem rituais e festividades que são parte de sua evolução enquanto indivíduos. No ciclo de vida judaico, há as seguintes etapas com seus respectivos significados:

  • Brit milá: a famosa circuncisão, que marca as boas-vindas ao bebê do sexo masculino;
  • Zeved habat: ritual dos sefarditas, que dá as boas-vindas ao bebê do sexo feminino;
  • Bar Mitzva: este ritual marca a chegada do indivíduo à maioridade e serve como indicação da responsabilidade de seguir os preceitos judaicos.

bar-mitzva

  • Casamento: visto como um contrato estabelecido entre homem e mulher com a finalidade de cumprir o mandamento da procriação. No campo espiritual, o casamento é visto como o encontro para formar uma única alma. Portanto, um indivíduo solteiro não é visto com bons olhos, mas sim, como uma alma incompleta. (Bonita essa perspectiva, não é mesmo?)
  • Luto: quem perde um ente querido na religião judaica segue um protocolo bem definido para o luto, geralmente, composto por 3 etapas que compreendem o período de doze meses.

Pouco importa o lugar, segurança é primordial! Garanta o Seguro Viagem ideal para você!

6 símbolos do Judaísmo

Os muçulmanos são conhecidos por suas vestimentas ou pela forma de oração, direcionada à Meca. Já os hindus são conhecidos também por suas roupas, pelo respeito aos animais e pela cremação como forma de sepultamento.

Cada crença religiosa possui o seu conjunto de elementos que se torna uma marca registrada para outras pessoas. Conheça os 6 símbolos que remetem ao Judaísmo.

Menorá

menora

A Menorá, esta imagem de um candelabro com 7 pontas, é um dos símbolos mais conhecidos do Judaísmo, mas sabe qual o significado dele?

Este símbolo serviu para representar Deus aos judeus, é um elemento que cumpre esse papel de representação do divino. 

A peça possui 7 pontas com uma sustentação no meio, chamada Shabat, fundamento do Judaísmo, e essas pontas são uma menção aos 7 dias que Deus levou para criar o mundo.

Além disso, seu objetivo é também de iluminar, fazendo uma referência às passagens bíblicas de que o povo judeu iluminaria toda a humanidade.

Dessa forma, a peça em si só é exibida nas sinagogas e nunca nas residências como um sinal de respeito, pois este objeto pertencia ao Templo de Jerusalém.

Estrela de Davi

estrela-de-davi

Ao contrário da Menorá que vem desde a Antiguidade representando Israel, é importante lembrar que a Estrela de Davi foi um símbolo que surgiu somente na história recente.

À primeira vista, tão facilmente associado ao povo judeu, foi popularizado durante o período do nazismo. A Estrela de Davi foi utilizada por Hitler para marcar, estigmatizar os judeus.

Eu tive uma conversa enriquecedora com o Damian Moshe em um vídeo e ele explica em detalhes a história desses símbolos:

Mezuzá

Lembra da Menorá que fica na sinagoga? A Mezuzá seria um símbolo semelhante que os judeus possuem em suas residências.

Logo, é um elemento colocado na porta de casa para lembrar ao judeu as passagens da Torá e de sua aliança perpétua com Deus.

Quipá

quipa

Para quem já teve contato direto com algum judeu ou assistiu algum programa na TV que mencionava judeus, deve ter percebido um ‘chapéu’ pequeno e redondo no centro da cabeça. Este é o famoso quipá.

Mas qual a sua função? É uma forma de dizer publicamente que o indivíduo que o utiliza segue os preceitos da Torá.

Assim, para compreender melhor a importância desses dois símbolos, convido você a acompanhar essa conversa que tive com Damian Moshe, como sempre, tão esclarecedor:

Tefilin

tefilin

Este símbolo é mais facilmente perceptível se você estiver em Israel ou em locais com judeus ultraortodoxos.

O Tefilin é um elemento que se utiliza amarrado no braço esquerdo ou na cabeça (mais precisamente na testa) e é um amuleto que serve para indicar a ligação do intelecto com a emoção.

Afinal, o segredo da vida reside no equilíbrio, não é mesmo?

Talit

talit

O Talit é um xale que o judeu recebe aos 13 anos do avô ou do pai e o acompanha por toda a vida.

Por que é utilizado? Pois é uma forma de representar o isolamento, o seu momento com Deus, algo íntimo e pessoal. É usado tanto nos momentos de oração quanto durante o casamento.

O símbolo é tão forte da ligação com Deus que é usado para enrolar o corpo de um judeu ao falecer.

Mais uma vez, Damian Moshe conversou comigo sobre estes símbolos e fez uma reflexão maravilhosa sobre colocar na prática, nas obras, toda a fé que se tem.

Foi uma explanação muito valiosa a respeito de símbolos religiosos e de simples amuletos. Confira aqui e seja surpreendido também:

Como entrar em contato com costumes judaicos?

Para um Brasil com maioria católica cristã, entrar em contato com os costumes judaicos em território nacional está restrito a, primeiro, saber locais onde há comunidades judaicas. São Paulo, por exemplo, estima que haja mais de 50 mil judeus, a maior concentração do país.  

Costumes judaicos no Brasil

Em algumas regiões brasileiras, certos costumes judaicos podem ser identificados, tais como: o descanso no sábado (shabat), a circuncisão de filho; fazer a higiene da casa na sexta-feira; banhar e amortalhar um defunto; e celebrar as datas judaicas.

No entanto, é importante lembrar que muitos judeus sofreram ataques durante o período do Holocausto em que vieram para o Brasil.

Muitos elementos se perderam ou foram marginalizados por representarem o povo judeu. 

Como forma de proteção, muitas gerações evitaram expor sua crença a fim de proteger sua família, portanto, é possível que muito tenha sido modificado de lá para cá.

Loucoflix: Nada Ortodoxa

nada-ortodoxa-loucoflix

Shalom! Já que o confinamento é um convite a assistir filmes e séries, eu indico que você assista a série Nada Ortodoxa, na Netflix.

É uma bela forma de compreender os rituais, símbolos e festividades do Judaísmo, principalmente o universo dos ultraortodoxos. Você vai se sentir imerso nos costumes judeus. 

Então, eu chamei Damian Moshe para fazermos uma análise cultural sobre a série, que foi dividida em parte 1 e parte 2.

Lembrando que a intenção aqui jamais seria de fazer um julgamento do Judaísmo, mas sim, uma forma de mostrar a outras pessoas como essa comunidade vive e fomentar o respeito à crença e aos costumes judeus. 

Israel: coração vivo do povo judeu

Estar pelas ruas do país é ser testemunha dos elementos que fizeram parte das três principais religiões monoteístas do mundo: cristianismo, judaísmo e islã

No entanto, Israel é, sem sombra de dúvidas, o coração vivo do povo judeu. O país possui construções que contam sua história e fomentam a prática dos preceitos religiosos.

Ao andar por esta nação, você sente como se estivesse fazendo uma profunda viagem no tempo, é como enxergar, ao vivo e em cores, tudo que descrevi aqui!

Você está pensando em ir para longe, mas não quer perder a conexão? Conte com a Viaje Conectado para ter o chip de celular perfeito para sua viagem internacional!

Conclusão

costumes-judaicos-cultura-judaica

Aprender sobre qualquer cultura ou religião é sempre uma viagem válida. Conhecer os costumes judeus, compreender suas práticas e crenças também serve para que possamos ser mais tolerantes e empáticos por onde quer que andemos. 

Israel é um local fascinante e, seja você judeu ou não, é maravilhoso conhecer a cultura judaica para ver de perto os rituais e os judeus em uma visita pelo país.

Se você é Louco Por Viagens assim como eu, vai aprender e respeitar ainda mais este lugar e estas pessoas!

Que tal aproveitar o confinamento e conhecer outros lugares distantes? Confira algumas sugestões:
Pontos turísticos da Espanha: Conheça 12 lugares incríveis
Conheça os 6 pontos turísticos de Portugal mais incríveis!
Pontos turísticos do Egito: 5 monumentos que você não pode deixar de visitar
Pontos turísticos da Índia: Conheça 5 lugares de tirar o fôlego!

Deixe um comentário

Você deve estar logado para postar um comentário.