Split e Trogir

Trogir é uma simpática cidade medieval na Croácia, localizada na costa do mar Adriático, possui aproximadamente de 13 mil habitantes e 2300 anos de historia. Dá pra conhecer a cidade em um único dia, se perder nas muitas ruelas, apreciar uma boa refeição na orla (Waterfront Promedade) assistindo os barcos atracarem e saírem do Porto.

 

 

Já em Split, a segunda maior cidade do país, caminhar pela Riva, a principal rua de pedestre da cidade,  é uma maneira de  sentir a atmosfera da Croácia e de como as pessoas vivem por aqui.

 

O palácio do imperador Diocleciano, é uma das atrações da cidade, mesmo ele não estando mais no formato original. Hoje é um bairro com 30 mil metros quadrados mas algumas coisas ainda foram preservadas e vale muito a pena visitar e conhecer um pouco dessa historia.

 

 

Depois da morte de Diocleciano, o palácio ficou abandonado e no século VII os bárbaros invadiram a região e os romanos tiveram que se refugiar dentro do palácio.

Eles se abrigaram no andar superior e como o palácio era fortificado, não tinham como sair e se desfazer de todo o lixo produzido.Por isso, eles fizeram buracos dando acesso para o andar de baixo e jogavam o lixo nessas salas. Foram séculos depois que, ao tirar esse lixo todo encontraram esse tesouro intacto: 55 salas grandiosas. Ainda há uma sala que não foi escavada para demonstrar como foram encontradas, um amontoado de terra e lixo calcificado.

Uma coisa curiosa é a construção dessas salas. São feitas de pedras muito bem encaixadas e “seladas”com clara de ovo! Imagina a quantidade de ovos usadas ali.

Diocleciano, que era um imperador pagão, construí dentro do palácio o seu próprio mausoléu com a intenção de passar a eternidade ali.

Porém, depois da sua morte o império ficou sem um imperador oficial por 10 anos. Após muitas brigas pela sucessão, Constantino se tornou o primeiro imperador cristão e instituiu uma lei um tanto sinistra, que era a possibilidade de “apagar” a memoria das pessoas ou seja, tudo o que preservasse a imagem de alguém poderia ser destruído se assim ele julgasse pertinente.

Assim ele julgou essa lei à Diocleciano e tudo o que era relacionado a esse imperador pagão foi destruído inclusive o seu mausoléu.

As únicas lembranças que deixaram foram duas imagens, uma de Diocleciano e outra de sua esposa dentro da igreja simbolizando de eles teriam que assistir todas as missas cristãs por toda a eternidade. Então onde era o mausoléu pagão, se tornou uma igreja cristã.

Um outro lugar , bem próximo ao mausoléu é o templo de Júpiter que era o templo de adoração de Diocleciano, lembrando que ele era um imperador pagão e claro, esse lugar também foi transformado e  virou um batistério para o batismos dos cristãos.

Fora da chamada parte residencial do palácio, é possível encontrar outras construções muito bem preservadas da época de Diocleciano.

Em frente da saída do portão norte, há uma estatua grandiosa do bispo Gregório de Nin, feita de bronze. Curiosamente o dedão do pé da estatua tem uma cor diferente do restante. O motivo: há uma lenda que diz que se você esfregar o dedão do pé da estatua seus pedidos serão realizados.

Os lugares do palácio onde ficavam os oficiais e os servos, hoje é o centro comercial da cidade com lojas, bares e restaurantes.

Para saber mais detalhes desse lugar:

Assista ao vídeo  🎥

Deixe um comentário

Você deve estar logado para postar um comentário.