Papiro Rhind

Fico muito feliz em colocar o primeiro post que não seja meu. É legal ver vocês interagindo e curtindo o site.

A responsável por este texto é a Juliana Martins, que curtiu o programa do papiro. Ela mora em Guarapuava e é graduanda em Licenciatura em Matemática pela Universidade Estadual do Centro-Oeste. Aluna de iniciação científica, trabalha no projeto de pesquisa “O papiro Rhind na historiografia da Matemática”, orientado pelo professor doutor em História da Matemática Edilson Roberto Pacheco.

Como viajar é cultura, segue o texto dela:

Você sabia que…
Muito do conhecimento que temos hoje sobre a prática matemática realizada no Egito Antigo é baseado em um papiro escrito por volta do ano de 1.650 AEC?

Em 1856 um antiquário escocês chamado Alexander Henry Rhind, em uma de suas visitas ao Egito comprou, em Luxor, juntamente com outras antiguidades egípcias, um papiro que lhe chamou atenção.

Mal sabia ele que acabara de adquirir um documento histórico de grande importância para o estudo da Matemática antiga. Curiosamente, seis anos mais tarde, na mesma cidade, Edwin Smith, como bom comerciante adquiriu, dentre vários objetos egípcios, um fragmento de papiro.

O que há de curioso nisso? O fato é que nenhum deles supostamente imaginaria que a parte comprada por Smith era exatamente a parte que faltava para completar o papiro comprado por Rhind. Infelizmente, essa descoberta só veio à tona após a morte desses compradores.

Em 1865, o Museu Britânico de Londres comprou a parte do papiro que pertencia até então a Rhind, enquanto que o fragmento adquirido por Smith foi doado à Sociedade Histórica de Nova York por sua filha. Atualmente, essa menor parte do papiro encontra-se no Museu do Brooklyn.

Portanto, se ao ler algum livro, revista, jornal, etc. que trata de história, matemática ou história da matemática você encontrar as denominações Papiro de Rhind, ou ainda, menos comum, Papiro de Ahmes, fique sabendo que é exatamente esse papiro matemático que está sendo referido. Mas e aí, o nome Papiro de Rhind é até compreensível, pois Alexander Henry Rhind foi o comprador desse importante papiro, e Papiro de Ahmes? Esse nome pode ser considerado como uma homenagem ao escriba que copiou o papiro.

Algumas informações gerais sobre o Papiro de Rhind podem ser encontradas com facilidade, mas muito cuidado, pois nem tudo o que fácil é confiável. As informações aqui obtidas foram baseadas em um importante livro publicado pela editora do Museu Britânico em Londres.

As folhas que constituem o papiro tinham um tamanho padrão (40×32) cm e seu comprimento total é de 513 cm. É escrito na frente e no verso, em escrita hierática, e contém a resolução de 87 problemas estritamente relacionados a atividades cotidianas, além de operações elementares com frações, especialmente as unitárias. O papiro Rhind é, sem dúvida, um dos mais importantes documentos para a História da Matemática.

BANNER-VIAGE-SEGURO

Leia também

15 opiniões sobre “Papiro Rhind”

  1. Mandou muito bem Ju, informações super confiáveis, ao contrário de muit coisa que a gente encontra na internet… Parabéns pela tua pesquisa :D

  2. Muito satisfatório ver meu texto publicado aqui!
    Muitas vezes durante a graduação não temos a oportunidade de divulgar nossas pesquisas e trabalhos afins.
    Então, temos que aproveitar as chances que aparecem.
    Agradeço a equipe do site, e espero que tenham gostado do texto, pra quem curte história e matemática… é uma ótima informação!
    Juliana Martins

  3. parabens minha kirida juliana!!!
    mandou mto bem!!! texto riquissimo, mto interessante!!
    impossível não ler até o fim!!
    grande garota
    sucesso!!bjus

  4. Parabéns Ju…. o texto realmente é muito rico em informações confiáveis.. que você posso progredir em seu trabalho… sucesso.

  5. Parabéns pela pesquisa Ju…
    Realmente muito interessante, eu como amante da Matemática, mas nem tanto da História rsrsrsrs fiquei super curioso para ler as informações que seu artigo continha até o fim. Gostei muito mesmo. Grandes sucessos em sua pesquisa e também na sua carreira, pois produzir algo com dados precisos não deve ser nada fácil. Bjs.

  6. Grande Ju!…Bem sei do teu esforço com relação a tua pesquisa…texto muito bem pautado…com informações muito claras e ricas…é muito bom saber que você compartilha coisas boas como essas com todos que estiverem dispostos a aprender…adoro História…ainda mais da Matemática…Parabéns

  7. Parabéns Ju, adorei seu texto e admiro muito sua pesquisa. Como sou apaixonada pela História e ainda mais História Antiga acho fantástica essa sua pesquisa, sei o quanto você é empenhada nela.
    Bjos

  8. Fico muito feliz ao te ver brilhando e trilhando esse caminho que alguns tentam mas que poucos conseguem chegar. Na graduação aprendi a gostar de verdade da História da Matemática e vendo você escrever, (ainda mais por que é sobre o Egito Antigo) me deixa muito orgulhosa.
    Sucesso ….
    Beijos

  9. Aeee Ju, detonando. Isso aí, mostra que alguns alunos do 4º ano de matemática da manhã da Unicentro sabem alguma coisa, shaushau. Muito bem, o texto ficou completo. Viva o Papiro Rhind.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>